sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Serviço à Humanidade

‘Abdul-Bahá descreve as “causas e circunstâncias[i] da “perfeição[ii] dos mundos mineral, vegetal e animal, e distingue-as da sua “verdadeira prosperidade[iii] que conduz à honra de vários reinos.

A honra e exaltação de todos os seres depende das causas e circunstâncias que lhes são inerentes.A excelência, a beleza e a perfeição da terra está na sua verdura e fertilidade, resultante das dádivas das chuvas primaveris. As plantas crescem, flores e ervas aromáticas surgem; as árvores frutíferas florescem e produzem frutos novos e frescos. Os jardins e prados tornam-se belos; as montanhas e as planícies ficam verdejantes; e os jardins, campos, vilarejos e cidades são embelezadas. Eis a prosperidade do mundo mineral.
O zénite da exaltação e a perfeição do mundo vegetal, encontra-se numa árvore que cresce nas margens de um rio de águas frescas, uma brisa suave que sobre ela sopra, o calor do sol que sobre ela brilha, cultivada por um agricultor, desenvolvendo-se assim gradativamente e produzindo frutos. Mas a sua verdadeira prosperidade está em progredir para o mundo animal, e humano repondo o que se tiver esgotado nos corpos dos animais e dos homens.

A exaltação do mundo animal consiste em possuir membros, órgãos e sentidos perfeitos e ter todas as suas necessidades supridas. Nisso consiste a sua glória suprema, a sua honra e exaltação.Portanto a suprema felicidade, de um animal consiste em possuir um prado verde e fértil, água corrente pura, uma floresta verdejante e encantadora. Se um pássaro, por exemplo, construir o seu ninho numa floresta verdejante e viçosa, num lugar alto e belo, no topo de um galho, numa árvore forte e se encontrar grãos e água em abundância, isto é a sua prosperidade perfeita.
Mas para o animal a verdadeira prosperidade consiste na passagem do mundo animal para o humano, como os animais microscópicos que, através da água e do ar, entram no organismo humano e são assimilados, e repõem o que é consumido neste corpo. Nisso está a grande honra e prosperidade para o mundo animal; para este, maior honra não pode ser concebida.”[iv]

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 13
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 13
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 13
[iv] Conservação dos recursos da Terra, página 14

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Composição e decomposição

‘Abdul-Bahá afirma que “repouso absoluto não existe na natureza[i], que “O movimento é essencial à existência[ii].

Relativamente a existência Ele descreve o processo de “Composição e decomposição:”[iii]

“...Considerai, ademais, o fenómeno da composição e decomposição, da existência e não-existência. Todas coisas criada no mundo contingente é constituída de muitos átomos diferentes, e sua existência depende da composição destes. Noutras palavras, através do poder criativo divino se dá uma combinação de elementos simples, e por essa composição um organismo bem definido é gerado. A existência de todas estas coisas baseia-se neste princípio. Quando, entretanto, a ordem é desarranjada, a decomposição ocorre e a desintegração manifesta-se, então a criatura deixa de existir. Ou seja, a aniquilação de todos os seres é causada pela decomposição e desintegração. Assim sendo, a atracção e a composição entre elementos diversos é o que proporciona a vida; e a discórdia, a decomposição e a divisão produzem morte. Portanto, as forças de atracção em todas as coisas levam ao aparecimento de resultados e efeitos proveitosos em todas as coisas, ao passo que a alienação e separação dos seres vivos conduzem à perturbação e aniquilamento. Por meio de afinidade e da atracção, todas as coisas viventes, como as plantas, os animais e o homem, vêm à existência; já a divisão e a discórdia ocasionam a decomposição e destruição.”[iv]

Ele também explica que, no mundo material, o curso da evolução conduz ao aumento dos níveis de complexidade:

Na criação física, a evolução vai de um a outro grau de perfeição. O mineral, passa com as suas perfeições, ao vegetal; o vegetal passa para o mundo animal, a assim por diante até se chegar ao da humanidade...”[v]

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[iv] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[v] Conservação dos recursos da Terra, página 12

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Impacto do aquecimento global sobre aumento de doenças

O impacto do aquecimento global sobre as doenças contagiosas tornar-se-á um desafio cada vez mais complexo para a saúde pública mundial, indicaram especialistas reunidos numa conferência médica em Chicago.

Este tema foi incluído pela primeira vez na Conferência anual sobre Agentes Antimicrobianos, tendo sido abordado num dos discursos de abertura de segunda-feira.
O encontro, na sua 47° edição, reúne em Chicago cerca de 1200 médicos e cientistas do mundo inteiro.

"O facto de que este tema esteja em um lugar de destaque no programa desta conferência revela a sua grande importância", disse o médico Anthony McMichael, do Centro Nacional de Epidemiologia e Saúde das Populações da Universidade de Cabberra (Austrália).
"Há alguns anos, provavelmente não teríamos abordado este tema, mas os indícios mostram que o aquecimento climático se produz mais rapidamente do que pensávamos há cinco ou dez anos", acrescentou.

O impacto da mudança climática na saúde "será um importante desafio e acho que deveríamos reunir mais dados (...) e adoptar uma visão mais ecológica para compreender as origens e a propagação de doenças infecciosas", explicou McMichael.
O tema é complexo e exige que se reúnam logo os dados para elaborar modelos baseados na evolução das doenças durante as últimas décadas para entender bem o risco futuro, completou o especialista.

Um exemplo disso seriam os casos de infecções com o vírus do Nilo Ocidental, que aumentaram exponencialmente nos Estados Unidos e no Canadá desde 1999 na medida em que o clima mais temperado permite que o mosquito, vector da infecção, se multiplique.

Um modelo elaborado para projetar a evolução da malária na África Ocidental manifestou que a incidência da doença provavelmente diminuirá nesta região na medida em que ela se torne cada vez mais quente e seca, o que dificulta o desenvolvimento do mosquito portador do patogênico causador do mal.

Nos últimos 30 anos, as chuvas diminuíram 25% na África subsaariana, o que indica que a região "se encontra seguramente na primeira fase de um processo que sabemos caminhar para o deslocamento dos sistemas de precipitações", segundo McMichael.

"Não há nenhuma razão para pensar que não veremos mais alterações deste tipo nas próximas décadas", acrescentou, citando o último informe do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), publicado neste ano.

Segundo o IPCC, o aumento previsível da temperatura do planeta até 2100 estará entre 1,8° e 4,0°C.

A reunião da Sociedade Americana de Microbiologia realiza-se de 17 a 20 de Setembro em Chicago.
Não deixo de considerar pertinente chamar a atenção para a anormal ocorrência de pluviosidade durante este nosso Verão lusitano. O que poderá permitir uma anormal proliferação de mosquitos ou outros vectores de doenças.

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Mudança e Movimento

A mudança é uma lei que governa a inteira criação física. Pode ser observada na passagem das estações do ano. ‘Abdul-Bahá escreve:

A terra está em movimento e crescimento; as montanhas, as colinas e planícies estão verdes e aprazíveis; a benção benção é transburdante; a misericórdia, universal; a chuva desce das nuvens da misericórdia; o sol fulgrante está brilhando; a lua cheia ornamenta o horizonte do espaço celeste; a grande maré inunda todo o pequeno rio; as dádivas são sucessivas; os favores consecutivos; e a brisa refrescante sopra, impelindo o doce perfume das flores. Um tesouro ilimitado encontra-se na mão do Rei dos Reis! Erguei as orlas de vosso manto para poderes
recebê-lo.
[i]

Em breve o mundo inteiro, assim como na primavera, trocará a sua roupagem. A mudança e a queda das folhas de outono já passou; A melancolia do Inverno já passou. O Ano Novo apareceu e a primavera espiritual está próxima. A terra sombria está-se tornando um jardim verdejante; nos desertos e montanhas estão abundantes em flores vermelhas; nas fronteiras das selvas as ervas altas estão como guardas avançados diante das árvores de ciprestes e jasmim; enquanto os pássaros chilreiam entre os ramos de rosas como anjos no mais elevado dos céus, anunciando as boas novas da chegada daquela primavera espiritual, e a doce música de seu chilrear leva a verdadeira essência de todas as coisas a se moverem e estremecer
."[ii]

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 10
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 10

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

A Natureza

Apesar de todo o cuidado que a Natureza nos merece não deveremos deificá-la no sentido de ser um ente com vontade própria.
"Agora, quando observardes na existência tais organizações, disposições e leis, poderás dizer que todas estas são efeitos da Natureza, embora a Natureza não possua inteligência nem percepção? Se não, torna-se evidente que esta Natureza, a qual não possui percepção nem inteligência, está nas mãos do Deus Todo Poderoso, O qual é o Governador do mundo da Natureza; tudo o que Ele deseje, Ele faz a Natureza manifestar-se.[i]"

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 10

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Sujeita a lei e organização

Abdu’l-Bahá assevera que “O mundo fenomenal é inteiramente sujeito às normas e controles da lei natural.[i] Ele compara a “ organização absoluta[ii] da natureza e a sua “falta de inteligência[iii] e “vontade[iv] com a habilidade humana para “Comandar as forças da natureza[v] através da descoberta da “Constituição das coisas[vi]:


"A Natureza está sujeita a uma organização absoluta, a leis determinadas, a uma ordem completa e a um plano consumado dos quais jamais se desviará...a tal ponto, que, se observardes atentamente e com visão aguçada, verás que desde o mais pequeno invisível átomo até às maiores formações do mundo da existência, tais como o globo solar ou as outras grandes estrelas e esferas luminosas, se considerardes a disposição, composição, forma ou movimento destes, descobrireis que todos estão no mais alto grau de organização, e sujeitos a uma lei, da qual jamais poder-se-ão desviar.

Ao contemplardes, porém, a própria Natureza, vereis que ela não possui inteligência ou vontade. Por exemplo a natureza do fogo é queimar; ele queima sem vontade ou inteligência. A natureza da água é fluir, ela flui sem vontade ou inteligência. A natureza do sol é brilhar, e ele brilha sem vontade ou inteligência. A natureza do vapor é subir, sobe sem vontade ou inteligência. Torna-se evidente, pois que os movimentos naturais de todas as coisas são involuntários; não há movimento voluntário, excepto nos animais e, acima de tudo, no homem. O homem é capaz de resistir e se opor á Natureza, porque conhece a constituição das coisas, e através disto comanda as forças da Natureza; todas as invenções feitas por ele se devem à descoberta da constituição das coisas. Por exemplo, ele inventou o telégrafo, que é o meio de comunicação entre o Ocidente e Oriente. Torna-se evidente, portanto, que o homem rege a Natureza
..."

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 8
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 8
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 8
[iv] Conservação dos recursos da Terra, página 8
[v] Conservação dos recursos da Terra, página 8
[vi] Conservação dos recursos da Terra, página 8

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Sistema Unificado

‘Abdul-Bahá indica que o “Templo do mundo[i] tem sido “Moldado depois da imagem tal como o corpo humano[ii]. Ele explica que:
“Isto significa que da mesma forma que o corpo humano neste mundo, o qual externamente é composto de membros e órgãos, é na realidade uma entidade fechada, integrada e coerente; de forma similar a estrutura do mundo físico é como um único ser entidade cujos membros e órgãos são inseparavelmente unidos.
Fosse uma pessoa observar com olhar perscrutador a realidade de todas as coisas, tornar-se-ia claro que o maior laço que mantém unido o mundo do ser reside na própria variedade dos seres criados e que cooperação, ajuda mútua e reciprocidade são características essenciais no corpo unificado do mundo do ser, visto que todas as coisas criadas são intimamente relacionadas e cada uma é influenciada pela outra, directa ou indirectamente.
Considerai, por exemplo, como um grupo de coisas criadas constituem o reino vegetal e outro o reino animal. Cada um destes faz uso de certos elementos na atmosfera, dos quais as suas vidas dependem, enquanto cada um aumento da quantidade de tais elementos que são essenciais para a vida do outro. Em outras palavras, o crescimento e o desenvolvimento do reino vegetal torna-se impossível sem a existência do reino animal e a manutenção da vida animal é inconcebível sem a cooperação do reino vegetal. Semelhantes são os relacionamentos que existem entre todas as coisas criadas. Por isso foi declarado que a cooperação e reciprocidade são propriedades essenciais inerentes ao sistema unificado do mundo da existência, e sem os quais a criação
inteira seria reduzida a nada.”
[iii]

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 7
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 7
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 8

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

A Nossa Educação

Estava a folhear a imprensa esperando extrair algum texto sobre a tomada de posse de Mário Soares como presidente da Comissão da Liberdade Religiosa quando deparei com um brilhante artigo escrito por Maria José Nogueira Pinto sobre a problemática abertura do ano escolar, focando a necessidade de se entender que o Ministério deve resultar do cumprimento de necessidade dos aunos e não de professores ou outros funcionários. Enfim, escreve sobre aquilo que já sabemos, não há milagres quando há professores a mais e, sobretudo, crianças a menos.

"...Cada abertura do ano escolar contempla, quase sempre, um enfrentamento político-corporativo entre os sindicatos e o titular da pasta. Lembremos as famosas colocações dos professores, e tantos outros episódios que distorcem a realidade das coisas: o Ministério da Educação e o sistema de ensino não existem em função dos professores mas sim em função das crianças que há que educar e formar. Os professores não são necessários porque há um ministério, mas sim porque novas gerações têm direito a ser educadas. E nada mais errado que imaginar pretextos para absorver estes professores, como sugere o sindicato, acrescentando mais tarefas que só aparentemente introduziriam melhorias significativas. Acaso esses professores não têm estado lá? Se o sistema educativo português não tem a qualidade desejada, tal não se deve ao número de professores, nem mesmo à taxa de natalidade, mas sim a um conjunto de erros acumulados, geralmente reconhecidos, mas de difícil eliminação..."

"...Mas as únicas medidas futuras para evitar o desemprego dos professores, ao contrário do que pensam os sindicatos, são as que no seu conjunto constituam uma verdadeira política de incentivo à natalidade e apoio à mulher e à família..."

Sem conotações ideológicas ou partidárias, o alerta é bem pertinente.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

híbridos de animais e humanos

"A Autoridade de Fertilização Humana e Embriologia (HFEA) da Grã-Bretanha aprovou nesta quarta-feira uma técnica para criar embriões híbridos de animais e humanos, o que permitirá o avanço na pesquisa de doenças como o Mal de Alzheimer ou Parkinson. "A decisão é uma boa notícia para os pacientes, para o público e para a comunidade científica britânica", disse o dr. Evan Harris, que coordenou a campanha de grupos de cientistas pedindo a permissão para a criação de embriões híbridos para serem utilizados em pesquisas médicas.
A autorização do organismo estatal, que regula as técnicas de fertilidade, permitirá que os cientistas do Kings College de Londres e da Universidade de Newcastle utilizem embriões híbridos para o estudo de doenças incuráveis. Ambas as equipes haviam solicitado à HFEA a aprovação desta polêmica técnica para a criação de embriões com material genético humano e animal que permitirá gerar células embrionárias, como primeiro passo para o desenvolvimento de terapias baseadas nas células-tronco...
......."
A nossa diferença física com as outras criaturas vai sendo menos notória.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Características da Natureza


O contacto com a Natureza dá ao Homem uma visão espiritual do mundo.

Bahá’u’lláh após ter saido do quartel-prisão de Akka onde se encontrava encarcerado afirmou: “Há nove anos que não vejo a verdura dos campos. Assim como a cidade é o mundo do corpo, o campo é o mundo da alma”.[i]



[i] Bahá’u’lláh e a Nova Era, página 38