segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Composição e decomposição

‘Abdul-Bahá afirma que “repouso absoluto não existe na natureza[i], que “O movimento é essencial à existência[ii].

Relativamente a existência Ele descreve o processo de “Composição e decomposição:”[iii]

“...Considerai, ademais, o fenómeno da composição e decomposição, da existência e não-existência. Todas coisas criada no mundo contingente é constituída de muitos átomos diferentes, e sua existência depende da composição destes. Noutras palavras, através do poder criativo divino se dá uma combinação de elementos simples, e por essa composição um organismo bem definido é gerado. A existência de todas estas coisas baseia-se neste princípio. Quando, entretanto, a ordem é desarranjada, a decomposição ocorre e a desintegração manifesta-se, então a criatura deixa de existir. Ou seja, a aniquilação de todos os seres é causada pela decomposição e desintegração. Assim sendo, a atracção e a composição entre elementos diversos é o que proporciona a vida; e a discórdia, a decomposição e a divisão produzem morte. Portanto, as forças de atracção em todas as coisas levam ao aparecimento de resultados e efeitos proveitosos em todas as coisas, ao passo que a alienação e separação dos seres vivos conduzem à perturbação e aniquilamento. Por meio de afinidade e da atracção, todas as coisas viventes, como as plantas, os animais e o homem, vêm à existência; já a divisão e a discórdia ocasionam a decomposição e destruição.”[iv]

Ele também explica que, no mundo material, o curso da evolução conduz ao aumento dos níveis de complexidade:

Na criação física, a evolução vai de um a outro grau de perfeição. O mineral, passa com as suas perfeições, ao vegetal; o vegetal passa para o mundo animal, a assim por diante até se chegar ao da humanidade...”[v]

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[iv] Conservação dos recursos da Terra, página 11
[v] Conservação dos recursos da Terra, página 12

Sem comentários: