quinta-feira, 9 de outubro de 2008

O actual desequilíbrio tem solução

Os escritos Bahá’is subentendem que a protecção, exploração e extracção dos “vastos e inimagináveis recursos” terrenos, devem, inevitavelmente, a longo prazo, estar sob a jurisdição de um “sistema federal mundial” . Esse sistema basear-se-á no reconhecimento da “unidade do género humano” , exercerá uma “autoridade incontestada” sobre os recursos terrenos, mas assegurará, igualmente, a justiça social e económica. Shoghi Effendi escreve:
O advento da Revelação de Bahá’u’lláh...deve ser considerado o período em que a humanidade inteira chega à maturidade. Não deve ser vista como apenas mais uma das renascenças espirituais pelas quais o sempre variante destino da humanidade a fez passar, nem como somente uma etapa mais adiantada numa série de Revelações progressivas, nem mesmo como a culminação de um dos ciclos proféticos que, de tempos em tempos, se repetem, mas, antes, devemos vê-la como o indício da etapa final e mais elevada em toda a estupenda evolução da vida colectiva do Homem sobre este planeta. No que diz respeito a esta vida planetária, devemos considerar como ponto culminante na organização da sociedade humana, a formação da comunidade mundial, a adopção do conceito de cidadão do mundo, a fundação de uma civilização mundial e uma cultura mundial, embora o Homem como indivíduo possa, ou melhor, deva, continuar sempre a progredir e a desenvolver-se em consequência desta consumação...

A unidade do género humano, tal como foi concebida por Bahá’u’lláh, pressupõe o estabelecimento de uma comunidade mundial em que todas as nações, raças, credos e classes estejam solidarias e permanentemente unidas, e em que a autonomia dos seus estados membros e a liberdade e iniciativa individual das pessoas que a compõem esteja definitiva e totalmente salvaguardada. Nessa sociedade mundial, a ciência e a a religião, as duas forças mais potentes na vida humana, reconciliar-se-ão, cooperarão, e desenvolver-se-ão harmoniosamente...Os recursos económicos do mundo serão organizados, as suas fontes de matérias-primas serão empregues e integralmente utilizadas, os seus mercados serão coordenados e desenvolvidos, e a distribuição dos seus produtos será equitativamente regulamentada.

Rivalidades nacionais, ódios e intrigas cessarão, e a animosidade racial e preconceitos serão substituídos pela convivência racial, compreensão e cooperação. As causas de contenda religiosa desaparecerão, as barreiras económicas e restrições serão completamente abolidas, e as habituais distinções entre classes serão aborrogadas. Os destituídos por um lado, e as vastas acumulações por outro lado, desaparecerão. A enorme energia despendida e desperdiçada na guerra, tanto económica como política, serão consagradas para fins como o aumento das escala das invenções humanas e desenvolvimento tecnológico, para o aumento da produtividade do género humano, o extermínio de doenças, o incremento da investigação científica, o aumento do nível de saúde, o nítido aperfeiçoamento do cérebro humano, a exploração de desprezados e insuspeitos recursos do planeta, o prolongamento da vida humana, e mais do que qualquer outro movimento pode estimular o intelecto, a moral, a vida espiritual de toda a raça humana.

Um sistema federal mundial, regendo todo o Planeta e exercendo uma autoridade inquestionável sobre os seus inimagináveis e vastos recursos, combinando e incorporando os ideais do Oriente e Ocidente, liberto da maldição da guerra e suas misérias, e as fontes de energia disponíveis na superfície do Planeta, um sistema em que a Força está submetida à Justiça, cuja vida é sustentada pelo reconhecimento universal de um só Deus e pela sua fidelidade a uma Revelação comum - tal é o objectivo destinado para a humanidade, que impulsionada pelas forças unificadoras da vida, vai-se deixando conduzir.

Sem comentários: