sexta-feira, 2 de maio de 2008

A Eleição da Casa Universal de Justiça

"Ó vós, Homens de Justiça! Sede vós, no domínio de Deus, os pastores de Suas ovelhas e protegei-as dos lobos vorazes que aparecem disfarçados, do mesmo modo como defenderíeis vossos próprios filhos. Assim vos exorta o Conselheiro, o Fiel."
Embora já tenha sido referida a eleição da Casa Universal de Justiça nos blogs do Marco e do Sam, não poderia deixar de focar esta assunto.

Numa cerimónia em que a dignidade e o diverso combinaram numa harmonia já profetizada, os Bahá'ís, provenientes de 153 países, elegeram a Casa Universal de Justiça. Embora estivessem representadas 166 Assembleias Nacionais, já que os territórios autónomos têm Assembleias Nacionais, tais como o Alasca ou as Canárias.

Os membros da Casa Universal de Justiça são : Farzam Arbab, Kiser Barnes, Peter Khan, Hooper Dunbar, Firaydoun Javaheri, Paul Lample, Payman Mohajer, Shahriar Razavi, Gustavo Correa.

Do tempo que estive em Israel (1996-97) ainda continuam Farzam Arbab, Peter Khan, Hooper Dunbar e Paul Lample. Numa nota pessoal, registo com agrado a vinda de Gustavo Correa, na medida em que é um nome "nosso" e foge da tradicional "fonte" persa e anglo saxónica.

1 comentário:

SAM disse...

A tradição é perfeitamente natural, tendo em conta que a Instituição em causa tem 35 anos de existência e tem as suas origens na Pérsia (isso quanto aos persas). Já os anglosaxónicos, bem, estes são bons naquilo que quiserem, portanto, é natural que os bahá'ís de países como a Inglaterra, o EUA ou o Canadá tenham envidado esforços para desenvolverem as suas instituições e a própria Fé em seus países.

Quanto ao Sr. Correa, estou também felicíssimo em saber que um sul-americano, hispano-hablante, tenha sido eleito para o órgão máximo da Comunidade Bahá'í (outras religiões ainda sonham com isso, e nós, com século e meio de existência conseguimos essa façanha!). Agora, estou ansioso pelo dia em que verei um nipónico (talvez um chinês falando mandarim seja ainda mais provável) e um falante do idioma português com assento nesse Corpo Supremo.

Um carinhoso abraço amigo.