quarta-feira, 24 de outubro de 2007

"Alimentai-vos ó povo, com as boas coisas que Deus vos concedeu"

Abdul-Bahá considera: “Assim vemos claramente que honra e exaltação do homem devem consistir em algo mais que bens materiais. Os confortos materiais são apenas ramos, mas a raiz da exaltação do homem são as boas qualidades e virtudes que adornam a sua realidade: são os atributos divinos, as graças celestiais, as emoções sublimes, o amor e o conhecimento de Deus; são a sabedoria universal, a percepção intelectual, as descobertas científicas, a equidade, a veracidade, a benevolência, a coragem natural, a fortaleza inata. Consistem também em respeitar os direitos, e em cumprir promessas e convénios, em agir com rectidão em todas as circunstâncias, servir a causa da verdade sob todas as condições, sacrificar a própria vida pelo bem colectivo, mostrar bondade e estima para com todas as nações, seguir os ensinamentos de Deus, servir o Reino Divino, orientar o povo, e educar as nações e as raças. Eis a prosperidade do mundo humano! Eis a exaltação do homem na terra! E a vida eterna e a honra celestial!”[i]

Os escritos Bahá’is encorajam o desprendimento de “este mundo e de suas vaidades[ii], havendo uma constatação individual de Deus. Isto não constitui uma forma de ascetismo ou implica a rejeição das dádivas da vida.
Bahá’u’lláh explica: “Se um homem desejasse adornar-se com os ornamentos da terra, usar suas vestimentas ou participar dos benefícios que ela pode conceder, nenhum dano lhe poderia advir, se não permitisse que coisa alguma interviesse entre ele e Deus, pois Deus ordenou cada coisa boa, quer criada nos céus ou na terra, para aqueles de Seus servos que em Ele, verdadeiramente acreditam. Alimentai-vos ó povo, com as boas coisas que Deus vos concedeu e não vos priveis de Suas graças maravilhosas. Rendei-lhe agradecimentos e louvor, e sede dos que são verdadeiramente gratos.[iii]


[i] Conservação dos recursos da Terra, página 18
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 18
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 18

1 comentário:

SAM disse...

Ok! Concordo.

Só não entendo o que é que isso tem a ver com aquela maravilhosa fruta na imagem...
Publicidade enganosa?!