segunda-feira, 27 de agosto de 2007

"Cada coisa deve ter uma origem"

Continuando:

"Sabe tu, Além disso que o Verbo de Deus - exaltada seja sua glória é mais elevado e vastamente superior aquilo que os sentidos podem perceber, pois está santificado de qualquer propriedade ou substância. Transcende as limitações dos elementos que conhecemos e eleva--se acima de todas as substâncias reconhecidas e essenciais. Tornou-se manifesto sem qualquer silaba ou som e não é, senão o Mandamento de Deus, o qual abrange todas as coisas criadas. Nunca foi negado ao mundo da existência. É a graça de Deus que a tudo atinge, da qual emana toda a graça. É uma entidade imensamente além e acima de tudo o que tem existido e há-de existir.
[...]
Cada coisa deve ter uma origem e, cada construção, um construtor. Em verdade, o Verbo de Deus é a causa que precedeu ao mundo contingente - um mundo que está adornado com os esplendores do Ancião dos Dias e, no entanto, está sendo renovado e regenerado em todos os tempos. Imensuravelmente exaltado é o Deus de Sabedoria que ergueu essa estrutura sublime.

Fixa no mundo o teu olhar e por algum tempo, nele pondera. Ele desvela o Seu próprio livro diante dos teus olhos e manifesta aquilo que a Pena de teu Senhor, o Moldador, O de tudo informado, nele inscreveu. Ele tornar-te-á conhecedor daquilo que contem e daquilo que sobre ele se encontrará, e dar-te-á tão claras explicações que te fará independente
de todo e qualquer expositor eloquente.

Dize: a Natureza em sua essência é a incorporação de Meu Nome, o Originador, o Criador. Diversas são suas manifestações, por causas que variam e, nessa diversidade, há sinais para o homens de discernimento. A Natureza e a Vontade de Deus e sua expressão no mundo contingente e através deste. É uma dispensação da Providencia determinada por Aquele que ordena, a Suma Sabedoria. Se alguém afirmasse que é a vontade de Deus assim como se manifesta no mundo da existência, a ninguém conviria questionar tal asserção. Está dotada de um poder cuja realidade homens de erudição não conseguem abranger. De facto, nada pode um homem de percepção nela discernir, salvo o fulgente esplendor de Nosso Nome, o Criador. Dize: É essa uma existência que não conhece desintegração, e a própria Natureza se assombra diante das suas revelações, suas inquestionáveis evidências e sua fulgente glória, as quais têm abrangido o Universo.
[...]
Se alguém hoje acredita firmemente, no renascimento do Homem, e tem plena consciência que Deus, o Mais Excelso, possui ascendência suprema e autoridade absoluta sobre essa nova criação, tal homem, em verdade, é incluído no número dos dotados de perspicácia nesta mais grandiosa Revelação. Disso dá testemunho todo o crente que discerne.”
[i]

[i] Epístolas de Bahá’u’lláh

Sem comentários: