sexta-feira, 20 de julho de 2007

O Valor da Investigação Científica

‘Abdul-Bahá associa a investigação científica como um instrumento de um nobre objectivo. Ele afirma:

Este talento é o poder mais louvável do homem, através do seu emprego e maneio a raça humana é aperfeiçoada, o desenvolvimento das virtudes da humanidade é possível e os mistérios de Deus tornam-se manifestos...”[i]

E ‘Abdul-Bahá enumera o princípio geral que:
“Qualquer agente, ainda que seja o instrumento para o maior benefício humano, pode ser mal empregado. O seu uso apropriado ou abusivo depende dos diferentes níveis esclarecimento, capacidade, fé, honestidade, devoção e elevada dos líderes de opinião pública.”[ii]
A ideia errónea de que ciência e religião são opostas deve-se ao facto de a Igreja cristã ter estado durante muito tempo em oposição à ciência e, essencialmente, porque a religião planeada por Deus para suceder ao cristianismo não se implantou na Europa medieval. Duas razões principais terão contribuído para que assim acontecesse, os cristãos não souberam reconhecer a Majestade da Revelação Maometana nem os muçulmanos souberam transmitir a Fé ensinada por Maomé.
Caso o Islão tivesse penetrado Europa Cristã esta não teria caído no materialismo e aquele não se teria deixado afundar no fanatismo.


Ali, genro de Maomé e, para os Bahá’is, Seu legítimo sucessor afirmou:


O que está de acordo com a ciência, também o é com a religião[iii]


[i] Conservação dos recursos da Terra, página 24
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 25
[iii] Bahá’u’llá e a Nova Era, página 145

2 comentários:

antónio paiva disse...

...........

repito-me, eu sei

mas o teu trabalho é magnífico

.....................

Abraço

Elfo disse...

Ó pá, andas inspirado. Mas então tu também não tiras umas feriazitas, para descontraires? Olha que "a vida são dois dias, o carnaval são três e dois já passaram."

Um abraço