quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

Poder / agressividade

Há a noção de que o poder ao longo da história da humanidade foi sempre pertença de certos grupos de pessoas, inclusivamente no actual sistema democrático.

Por este facto existe a noção de que a agressividade é condição necessária para a tomada e manutenção do poder. Este atributo está em especial associado aos homens e não às mulheres. A igualdade de direitos e oportunidades entre ambos os sexos é tão indispensável quanto inevitável, ”As mulheres e os homens foram, e serão sempre iguais aos olhos de Deus”.[i]

Devido à concepção da planetização dos problemas que afectam a raça humana, será necessário a libertação das ideias do que é o poder e da forma de o utilizar.

Segundo a Fé Bahá’i o Homem encontra-se “fora e dentro” deste mundo. Bahá’u’lláh afirma:

“Havendo criado o mundo e tudo o que aí vive e se move, Ele, pela operação directa de Sua Vontade absoluta e soberana, dignou-se conferir ao homem a distinção e a capacidade incomparáveis de O conhecer e amar - capacidade esta que há de ser vista como o impulso gerador e o desígnio primário que baseiam toda a criação...À luz de um de um de seus nomes. Ele irradiou sobre a mais íntima realidade de cada uma das coisas criadas, fazendo dessa realidade um receptáculo da glória de um de Seus atributos. Sobre a realidade do homem, entretanto, focalizou Ele o fulgor de todos os Seus nomes e atributos e o fez um espelho de Seu próprio Ser. O homem, unicamente, dentre todas as coisas criadas, foi distinguido por tão grande favor, por uma graça tão duradoura.[ii]



[i] Bahá’u’lláh, página 56

[ii] Selecção dos Escritos de Bahá’u’lláh, página 53

2 comentários:

Elforadiante disse...

Ó meu caro João então as mulheres não têm apetência para o poder? Olha à tua volta e diz-me o que vês!

As mulheres estão a ganhar aos homens em termos de ambição e poder em todos os campos, desde as artes, ciências e política. há neste momento quase ou mais mulheres magistradas do que magistrados. Isso não é poder? MKais médicas do que médicos. Isso não é poder? Mais Professoras universitárias doutoradas do que doutorados. Isso não é poder?
Graças a Deus que isso está acontecer pois é uma prova da maturidade da raça humana.

Anónimo disse...

SYMBOL AND SECRET:
Qur'an Commentary in Bahá'u'lláh's Kitáb-i Íqán:
Studies in the Bábí and Bahá'í Religions, Volume Seven

By Christopher Buck

Here is the first full volume in English ever devoted to a study of the Kitáb-i Íqán, a book designated by the Guardian of the Bahá'í Faith as "foremost among the priceless treasures cast forth from the billowing ocean of Bahá'u'lláh's Revelation."
Christopher Buck, a Bahá'í scholar of Islamic Studies, brings his considerable talents to bear on Bahá'u'lláh's explanations of the symbolic language to be found in the Qur'an and in the Gospels. Through the power of this explanation, Bahá'u'lláh creates new meanings for these verses and lays the foundation for a new religion.
Buck offers us his research into the revelation of the Kitáb-i Íqán and the early history of its publication in India, at Bahá'u'lláh's command. He answers the attacks that non-Bahá'í critics have directed against it. He goes on to analyze the rhetorical techniques which Bahá'u'lláh uses in this work. And, finally, he illustrates for us how the Kitáb-i Íqán forms a bridge to a new Revelation. This is a masterful piece of scholarship. A "must-read" for all serious students of Bahá'í Scripture.