quinta-feira, 14 de dezembro de 2006

7.O problema da água

O ar não é a única parte da biosfera a sofrer os efeitos da civilização industrial, num mundo cada vez mais inter depen dente.

A água, tanto no que diz respeito aos oceanos como aos pequenos cursos de água, está sendo seriamente afectada. A água é essencial para a vida, sendo constantemente reciclada na biosfera.

Existindo na forma liquida, solida e gasosa. É líquida nos oceanos, rios e lagos; sólida em forma de gelo nos pólos ou glaciar ou neve; gasosa na forma de vapor de água na atmosfera.

Por vezes actua-se directamente no ciclo da água. Quando se destrói uma floresta reduz-se a quantidade de água emanada para a atmosfera, o que modificará o clima nessa região, a diminuição de vapor de água diminuirá a quantidade de chuva. O desbravamento de um bosque para preparar um terreno para a prática de agricultura intensiva poderá ter claramente um efeito nefasto, particularmente em zonas de clima mediterrânico onde a chuva, escasseando durante largos períodos de tempo, quando ocorre é por vezes de forma torrencial, arrastando consigo uma grande quantidade de solo. A quantidade de água está dependente da chuva, a menos que seja transportada de um outro local como rios ou suplementos fósseis.

Uma das razões da seca em África, e outras zonas do globo, poderá estar relacionada com os esgotamento dos suplementos fósseis de água, porque não é renovada sazonalmente.

Se por um lado é difícil provocar a queda de chuva, a reciclagem de água já é uma tarefa bastante mais fácil. Se a água é correctamente purificada, poderá ser utilizada e reutilizada várias vezes antes de regressar ao mar. Muitas cidades utilizam água que já foi utilizada várias vezes. A combinação do processo de purificação natural com a filtragem e tratamento químico permitem que água imprópria passe a potável.

Ontem o Elfo falou da água, assim inspirei-me...

4 comentários:

azuki disse...

Aquela primeira fotografia parece-me o Perito Moreno, tido como o mais belo glaciar do mundo.

Olhar para ele, caminhar sobre ele, é único e indescritível.

A água também nos dá isto: momentos de profunda comoção.

João Moutinho disse...

O Perito Moreno fica na Terra do Fogo?
Apreciei a sua conclusão. É bem verdade, a Natureza vale pelo seu todo e um glaciar é um espectáculo magnífico.
Quando gelo adquire a cor azul a sua beleza torna-se esmagadora.

A ver vamos se ainda deixamos glaciares para os nossos filhos ou netos...

azuki disse...

Tal como a Terra do Fogo, o Perito Moreno também pertence à Patagónia Argentina, mas situa-se um pouco mais a norte, na Província de Santa Cruz. Ele é a estrela das dezenas de glaciares que existem no Parque Nacional Los Glaciares, em Calafate.

Ainda estou cheia da comoção que a visão dos glaciares provoca, pois acabo de regressar da Nova Zelândia, onde vi e escalei o Franz Josef. Como aconteceu com o Perito Moreno, não consegui evitar que o meu corpo tremesse e que os meus olhos chorassem quando me vi ali, na sua frente.

Esperemos que sim, João, esperemos que consigamos permitir aos nossos filhos e netos a visão dos glaciares.

pintoribeiro disse...

Abraço João, passa lá. Suck.