quarta-feira, 2 de agosto de 2006

VI. Maomé “O Selo dos Profetas” (1.ª parte)


Maomé não é pai de um dos vossos homens, mas é o Enviado de Deus e Selo dos Profetas. Deus é sobre todas as coisas omnisciente.” - Sura “Os Partidos” (XXXIII, v.40).

De acordo com o Alcorão e confirmado nos Escritos de Bahá’u’lláh, Maomé era simultaneamente um Profeta e um Apóstolo de Deus designado como o “Selo dos Profetas”. A interpretação deste título tem levado a que muitos muçulmanos não aceitem que possa ter havido uma Revelação Divina após a Revelação Maometana. Assim, o aceitar a Fé Bahá’í colide com a crença de muitos muçulmanos. Será útil tentar estabelecer a diferença entre “Profeta” e “Apóstolo” de Deus, e as diferentes interpretações de “Selo dos Profetas”.

A palavra profeta em árabe é “nábi” que, pela literatura consultada, tem origem no hebraico e que quer dizer vidente ou previsor. No Antigo e Novo Testamento, a maneira de se prever o futuro é através de visões e sonhos. José teve uma visão, Daniel profetizou e São João tinha revelações. O termo Profeta significa Aquele que é inspirado por Deus e, por consequência, aplicável a todas as Manifestações de Deus.
O Alcorão, no entanto, atribui, uma estação mais precisa para um Profeta e um Apóstolo de Deus. Na Bíblia Moisés e Jesus são chamados de Profetas, mas no Alcorão Moisés e Jesus são também referidos como Apóstolos de Deus, enquanto Aarão é designado apenas como Profeta.

“E recorda no Livro a Moisés; foi devoto e foi Enviado, Profeta. Falámo-lhe da vertente direita do Monte Sinai, fizemos que se aproximasse como confidente. E concedemos-lhe, graças à Nossa Misericórdia, como Profeta, o Seu irmão Aarão.”- Sura Maria (XIX, v. 51-53).

“Recordai-vos de quando inspirei os Apóstolos, dizendo: “Crede em Mim e no Meu Enviado.” Responderam: “Cremos: testemunha que estamos submetidos à vontade de Deus.” – Sura A Mesa (V, v.111).

Sem comentários: