sexta-feira, 14 de julho de 2006

Pequena descrição da vida de Maomé - 6.ª parte

No final de 629 algumas tribos medinenses quebraram o tratado estabelecido com Maomé, tendo os seus aliados mecanos vindo em seu auxílio. Desta forma, Maomé levantou um exército para terminar com a traição. No início de 630 Maomé aproximou-se de Meca chefiando um grande exército. Os mecanos não tinham forças à altura, então o chefe da família dos Omíadas, submeteu-se a Maomé, ao que foi seguido pela grande maioria dos mecanos.

Assim, Maomé entrou em Meca de forma triunfante, oito anos após ter de abandoná-la sob o risco de ser assassinado pelos principais clãs. O seu primeiro acto foi entrar em Kaaba com Ali aos Seus ombros e destruir todos os ídolos – acto este com um profundo significado simbólico.

O ano seguinte, corresponde a um período em que várias tribos da Arábia vieram prestar juramento ao Profeta, incluindo algumas que se Lhe tinham oposto ferozmente. Para junto dessas tribos enviou alguns dos Seus companheiros mais próximos a fim de lhes ensinar o Islão. Algumas tribos cristãs do norte reconheceram a soberania de Maomé e comprometeram-se a pagar uma taxa que o Islão decretou para os súbditos não muçulmanos.

Nesse ano Maomé não efectuou a peregrinação mas encarregou Ali de não permitir que os pagãos se aproximassem de Kaaba. No ano seguinte, O Profeta fez a peregrinação que se veio a tornar a Sua última, e padrão para todas as subsequentes de Seus seguidores.

Após regressar a Medina no Verão de 632, ficou febril e após algumas semanas a debater-se com a doença veio a falecer.

Sem comentários: