quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Vida (ou seu princípio) nos cometas


Em 2004 a Sonda Stardust revelapou haver coenzimas PQQ em partículas do cometa Wild 2. A superfície e o "comportamento" do cometa surpreendem cientistas

Cientistas alemães e norte-americanos descobriram novos indícios de que a vida na Terra teria surgido com a ajuda do pó de cometas. "Pela primeira vez foi constatada entre estas partículas a presença de coenzimas do tipo PQQ, substâncias presentes em todos os seres vivos, com exceção das arqueobactérias", disse Jochen Kissel, pesquisador do Instituto Max Planck da Alemanha.

A revelação fez parte de uma série de artigos publicados na revista Science, com as primeiras análises dos dados enviados pela sonda espacial Stardust, que em janeiro de 2004 passou a 236 km do cometa Wild 2.

A nave atravessou a cauda do cometa e recolheu partículas que foram transportas para a Terra - entre elas, as do tipo PQQ, essenciais para a formação de material genético. O DNA, afinal, nada mais é do que uma molécula orgânica. O processo de criação dos genes antes do surgimento das primeiras formas de vida ainda é um mistério para os cientistas. "É a famosa pergunta sobre o ovo e a galinha. Agora sabemos que um dos dois veio do espaço", disse o físico Franz Krueger, co-autor do estudo.

Hoje o pó estelar que chega à Terra será pouco influente, pois os seres vivos produzem seu próprio material genético.

"As coenzimas do tipo PQQ foram criadas com a ajuda de radiação cósmica a partir de moléculas existentes sobre a superfície de partículas minerais," disse o físico.

Krueger foi um dos cientistas que produziu o espectrómetro instalado na sonda, que permite analisar as partículas cósmicas directamente do espaço.

Sem comentários: