terça-feira, 2 de outubro de 2007

Imperfeição da Natureza

Nas escrituras Bahá’is há duas perspectivas sobre a natureza que estão em claro contraste - uma que considera que o “Mundo da Natureza é completo[i], e uma que declara que e “incompleta”[ii] porque “ela tem necessidade de inteligência e educação”.[iii] ‘Abdu’l-Bahá afirma que “Os mundos mineral, vegetal, animal e humano necessitam todos de educação[iv]:

"Os materialistas mantém a opinião de que o mundo da Natureza é completo. Os filósofos divinos declaram que o mundo da Natureza é incompleto. Há uma grande diferença entre os dois. Os materialistas chamam a atenção para a perfeição da Natureza, o sol, a lua, as estrelas, as árvores com sua beleza, o planeta inteiro e o mar - mesmo os fenómenos insignificantes revelam a mais perfeita simetria.
Os filósofos divinos negam esta perfeição aparente acabamento do reino da natureza, embora aceitem a beleza de suas cenas e aspectos e reconheçam as irresistíveis forças cósmicas que controlam as enormes estrelas e planetas. Eles afirmam que embora a natureza pareça ser perfeita, é, no entanto, imperfeita, pois necessita de inteligência e educação. Como prova disto dizem que o homem, embora seja um Deus no reino da criação material, necessita de um educador. O homem não desenvolvido pela educação é selvagem, animalesco e brutal. Leis e regulamentos, escolas, faculdades e universidades têm como propósito o treinamento do homem e a sua elevação da sombria fronteira do reino animal...[v]

Ao examinarmos a existência, observamos que os mundos mineral, vegetal, animal e humano necessitam de um educador. Se a terra não é cultivada, torna-se um matagal onde crescem ervas inúteis; mas se um agricultor lavrar a terra, ela produzirá colheitas que alimentarão muitas criaturas. É evidente, portanto, que a terra arável precisa da intervenção do agricultor. Considerai as árvores: se elas não forem tratadas por um agricultor, ficarão sem frutos; mas se receberem os cuidados de um jardineiro, estas mesmas árvores estéreis tornar-se-ão frutíferas, e através da lavoura, adubação e enxertia, as árvores que tinham frutos amargos produzirão frutos doces. O mesmo se aplica aos animais: observai que quando o animal é mestrado torna-se doméstico. Da mesma forma, se o homem não receber educação, tornar-se-á bestial, mais ainda, se for deixado sob o domínio da Natureza, tornar-se-á mais baixo que um animal, ao passo que se for educado tornar-se-á um anjo...”[vi]

[i] Conservação dos recursos da Terra, página 15
[ii] Conservação dos recursos da Terra, página 15
[iii] Conservação dos recursos da Terra, página 15
[iv] Conservação dos recursos da Terra, página 15
[v] Conservação dos recursos da Terra, página 15
[vi] Conservação dos recursos da Terra, página 16

2 comentários:

antónio paiva disse...

.......

Um abraço com a iperfeição da minha natureza.

......................

João Moutinho disse...

Um abraço de outro imperfeito.
Ainda bem que o somos, a vida dos anjos deve ser bem enfadonha.