quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

A Consultação

‘Abdu’l-Bahá afirma:

“O propósito da consulta é demonstrar que pontos de vista de diversos indivíduos são, certamente, preferíveis aos de uma única pessoa, da mesma forma que a força de um grupo de homens é, naturalmente maior que a força de um único homem. Assim, a consulta é aceitável na presença do Todo-Poderoso, e foi ordenada aos crentes, para que eles possam deliberar sobre questões comuns e pessoais bem como sobre assuntos que são de natureza geral e universal.”[i]

Considerando que:

“Os requisitos primordiais para aqueles que se reúnem para consultarem são: pureza de motivo, espírito radiante, desprendimento de tudo a não ser de Deus, atracção às Suas Divinas Fragrâncias; humildade e submissão entre Seus amados, paciência e resignação em dificuldades, e servitude em Seu excelso Limiar. Se, bondosamente, forem auxiliados a adquirir estes atributos, a vitória ser-lhes-á concedida do reino invisível de Bahá. Seus membros devem consultar em conjunto de tal modo a não dar ocasião para ressentimento ou discórdia. Isto pode ser atingido quando cada membro expressa com liberdade absoluta a sua própria opinião e expõe seu argumento. Se alguém se opuser, de modo algum dever-se-á ofender, pois só pela ampla discussão dos assuntos poderá ser revelado o caminho certo. A brilhante fagulha da verdade só aparece após o impacto das opiniões divergentes. Se, após o debate, chegarem a uma decisão unânime, muito bem; mas, se - Deus proíba - surgirem diferenças de opinião, a voz da maioria deve prevalecer.”[ii]

[i] Consulta Bahá’i, A Lâmpada que guia, Uma compilação página 16
[ii] Consulta Bahá’i, A Lâmpada que guia, Uma compilação, página...

4 comentários:

Marco disse...

"Consultação" ou "Consulta"?

Carla V. disse...

que é como quem diz: "a falar é que a gente se entende"

Savonarola disse...

Gostei de conhecer, como leigo, estes excertos de sabedoria.
Obrigado

Mara disse...

A mania de traduzir de inglês que dá nisso.