segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Vida e Morte

O Alcorão tem um estilo próprio, considerado por muitos como único e imensuravelmente belo. Muitas vezes transmite verdades espirituais sob a forma de metáforas e alegorias, tal como Jesus Cristo que falou em parábolas que estão registadas nos Evangelhos, para que os Seus seguidores tenham capacidade para compreendê-las.

Vida e morte, num sentido espiritual, significa aceitação ou repúdio da Luz que Deus trouxe ao mundo através das Suas Manifestações. Um dos versículos mais óbvios que justifica esta interpretação é um que foi revelado aquando da declaração da Fé no Islão por parte de Hamzih, tio de Maomé:

Quem estava morto e o ressuscitámos e lhe demos uma luz com que anda entre os homens é igual a quem está nas trevas e não sai delas? Assim julgam os infiéis.”
- Sura “Os rebanhos” (VI, v.122)

Hamzih fisicamente não estava morto nem volveu à vida física, mas é considerado morte como a negação da Luz de Deus e morte como a sua negação. Quando aceitou a manifestação divina “ressuscitou”.

Aqueles a quem invocam, prescindindo de Deus, nada criaram: foram eles criados.
Estão mortos, não vivos, e não sabem quando serão ressuscitados.”

- Sura “A abelha” (VI, v.20-21)

Ser ressuscitado significa que a alma libertar-se-á da sepultura e terá uma nova vida espiritual. A ressurreição é espiritual e não física, o que é confirmado pelo seguinte versículo:

Recordai-vos de quando dizíeis: “Moisés, nós creremos em ti até que vejamos a Deus claramente!” E o raio vos levou enquanto olháveis.
Em seguida, depois da vossa morte, ressuscitámo-vos, esperando que talvez nos agradecêsseis."
- Sura “A vaca” (II, v. 55-56)

Estas palavras foram dirigidas aos Israelitas após terem errado pelo deserto durante quarenta anos. Como é óbvio os Israelitas, como nação, não foram destruídos por um raio nem estavam fisicamente mortos.

Sem comentários: