quinta-feira, 21 de setembro de 2006

O Inevitável (6.ª parte)

Um outro exemplo relacionado com a identificação de Maomé com Deus e o Seu papel no desenvolvimento dos acontecimentos, diz respeito ao relato da batalha de Badre. Tendo de combater com poderosos oponentes, o Apóstolo orou e pegou numa cheia de areia e lançou-a na direcção dos inimigos. Os crentes saíram vitoriosos e o seguinte versículo foi revelado: “Crentes! Não os matastes: Deus matou-os. Não atiras quando atiras: Deus é quem atira, a fim de experimentar os crentes, pela sua parte, como uma bela prova. Deus tudo ouve é omnisciente.” - Sura “Os Despojos” (VIII, v.17)

Um terceiro ponto concerne a que o Alcorão mostra a chave para um entendimento mais aprofundado dos versículos, enquanto é altamente descritivo, mostra que não pode ser entendido através da sua interpretação literal.

Quantos sinais há nos Céus e na Terra! Os homens passam ao seu lado, mas afastam-se deles.
Na sua maioria não crêem em Deus, mas são idólatras.
Estão seguros de que não lhes chegará um véu do tormento de Deus ou do que não lhes chegará de repente a hora do juízo quando eles não a esperam?”

- Sura “José” (XII, v. 105-107)

Adverte-os, Muhammad acerca do dia da perdição, quando se decrete a Ordem enquanto eles estejam descuidados porque não crêem.” – Sura “Maria” (XIX, v.39)

Abraão exclamou: “Tomaste ídolos prescindindo de Deus pelo amos que, entre vós, desperta a vida mundana. Depois, no Dia da Ressurreição, renegar-vos-eis uns aos outros e amaldiçoar-vos-eis uns aos outros. O vosso refúgio será o fogo e não tereis defensores.” – Sura “A Aranha” (XXIX, v.25)

Com todos os acontecimentos a ocorrerem nesse dia, tanto na terra como no céu, as estrelas e as montanhas nesse Dia, e a vinda de Deus, o Senhor, os Profetas e os anjos, como pode alguém “não a esperar”, ser “descuidado” ou “idólatras”? Onde iria o povo sob essas circunstâncias encontrar o espaço temporal ou mental para a premeditação “renegar-vos-eis” ou “amaldiçoar-vos-eis”? É certo que os eventos antes de ocorrerem num Dia que não poderá ser entendido literalmente e que as tribulações sentidas pelos Homens deverão ser entendidas como afectando a sua alma. O seguinte versículo explica como os ímpios serão surpreendidos:

No dia em que chegue a Hora, os culpados jurarão que não permaneceram mais de um momento nos seus túmulos. Assim terão blasfemado na Terra.
Aqueles a quem se deu a Ciência e a Fé dirão: Permanecemos na Lei de Deus até ao Dia da Ressurreição. Este é o Dia da Ressurreição mas vós não sabíeis.”
– Sura “Os Bizantinos” (XXX, v.55-56)

Os desprevenidos assistirão aos eventos nesse Dia mas não entenderão a sua importância, enquanto que aqueles a quem é dado conhecimento e Fé para a aceitação da nova Manifestação Divina terão entendido o que é o “Dia da Ressurreição”.

Sem comentários: