sexta-feira, 1 de setembro de 2006

Cada Nação tem a sua Própria Lei

Voltando ao tema de abertura deste blog.

O Alcorão explica que Deus revelou a cada povo um número determinado de leis a serem seguidas.

Sura “A Mesa” (V, v.48): “Fizemo-te revelar o Livro com a Verdade, confirmando os Livros que já tinham e vigiando a sua pureza. Julga entre eles segundo o que Deus revelou e não sigas as suas seduções afastando-te da verdade que te chegou.

Instituímos para cada um de vós uma norma, uma lei e um caminho.

Se Deus quisesse, ter-vos-ia reunido numa comunidade única, mas dividiu-vos com o fim de vos pôr à prova no que vos deu.

Nestes versículos, Maomé revelou novas leis que ab-rogaram as anteriores e ao mesmo tempo confirmou a origem divina das Revelações anteriores. A alteração das leis surge para benefício de toda a humanidade. Quando uma lei caduca, uma outra vem substitui-la. Não só uma nova Revelação inclui uma nova série de leis, como os rituais também estão sujeitos a mutação.

Demos aos membros de cada comunidade um rito que eles seguem. Que não discutam contigo acerca da Ordem! Invoca o Teu Senhor! Tu estás no bom caminho. Se discutem contigo diz: “Deus conhece o que fazeis. Deus julgará de entre vós no Dia da Ressurreição acerca daquilo em que divergis.” Sura “A Peregrinação” (XXII, v.67-69)

Enquanto Maomé trouxe a nova lei que Lhe foi revelada, Deus prometeu no Alcorão que Ele Próprio irá julgar os povos no Dia da Ressurreição naquilo que os diferencia.

Para aqueles que duvidam que Deus pode ab-rogar os versículos por Ele revelados, o Alcorão confirma-o:

Não abrorrogamos nenhum versículo, nem o fazemos esquecer da tua memória ou trocar por outro melhor ou parecido. Não sabeis que Deus tem poder sobre todas as coisas?” Sura “A Vaca” (II, v. 106).

2 comentários:

Vítor Mácula disse...

Caro João.

A minha experiência com os textos revelados mostra-me que, para além de revelarem conteúdos relativamente objectiváveis – como por exemplo leis sociais, religiosas, etc – são-me essencialmente um confronto e interpelação que me revelam a mim próprio. Sobretudo, porque sou eu e me faço também, a Bíblia judaico-cristã ;)

Tomei a liberdade de o linkar.

Um abraço.

João Moutinho disse...

Estimado Vítor,

Eu já tinha linkado o seu blog.
Apenas não tive a cortesia de informá-lo.
É muito bem vindo.