sábado, 6 de fevereiro de 2010

O Absoluto


Este meu blog tem andado pouco activo, tendo-o aberto mais para consulta do "Povo de Bahá" ou "Herdeiro de Aécio".
Resolvi então volver com as Máximas e interlúdios de Frederico Nietzche:

"A objecção, o desvio, a desconfiança alegre, a vontade de troçar são sinais de saúde: tudo o que é absoluto pertence à patologia."

Acredito haver algo aqui de profundamente sábio.
Quando somos ardentes seguidores de uma ideologia (que pode ser religiosa, como é o meu caso) podemos facilmente cair no excesso de zelo e considerar que o outro não é digno de nós por levar as coisas sagradas de forma ligeira - quando as considera.
Assim penso que o absoluto, o óptimo são sempre conceitos a ter alguma reserva.
Se "o óptimo é inimigo do bom", então prefiro ser apenas bom.
Perdoem a imodéstia, um bom Bahá'í.